Resiliência, define em uma palavra minhas duas gestões na presidência do Seconci-MG

Se tivesse que definir em uma palavra minhas duas gestões na presidência do Seconci-MG , seria “resiliência”. Sob outra perspectiva, poderia escolher “aprimoramento”. Depende da ótica de quem avalia essa experiência na condução de um projeto de responsabilidade social de tamanha importância.

Danuza encerra seu mandato (setembro de 2017 a agosto de 2021) com mais de dois milhões de atendimentos prestados, dados que traduzem a evolução e o reconhecimento desta ação de responsabilidade social e empresarial.

Ao aceitar o convite para compor a diretoria do Seconci-MG em 2017, inaugurando a presença feminina neste cargo, tinha consciência de que enfrentaria uma temporada marcada pelos efeitos da recessão econômica que tanto afetou o setor construtivo na ocasião, com queda no seu ritmo produtivo e aumento do desemprego. Foi um desafio manter e ajustar a estrutura de funcionamento da entidade aos reveses inevitáveis da contração econômica. Nestes trinta anos de história, o Seconci-MG já é uma referência em cidadania e responsabilidade social empresarial e tornou-se uma obrigação moral enfrentar as dificuldades que obstruem seu avanço e o que ele representa para o trabalhador do nosso segmento produtivo.

Com sensatez e parcimônia fomos contornando as adversidades, nos adequando, remodelando nossa atuação, sempre com o apoio dos nossos mantenedores, dos antigos e atuais gestores, e dos nossos profissionais, que nos ajudaram a forjar a missão seconciana, iniciada em 1992 com o compromisso de investir na qualidade de vida dos trabalhadores da construção, através da promoção de sua saúde e segurança no trabalho.

Quando começamos a recuperar o fôlego das atividades produtivas, que repercutem sobremaneira na dinâmica de funcionamento da casa e em nossa capacidade de assegurar a qualidade dos atendimentos e serviços que realizamos, veio a Covid-19. Mais uma vez tivemos que nos adaptar às mudanças impostas pela nova realidade, nos moldar às exigências legais de enfrentamento da pandemia, frear nossos anseios e expectativas de crescimento, de ampliação ou otimização do que ofertamos. Neste atípico segundo mandato, infelizmente, não foi possível avançar muito, mas comemoramos o fato de seguirmos funcionando, graças ao comprometimento de nossos profissionais com a observância das recomendações sanitárias das autoridades públicas de saúde, com os protocolos de bioproteção, com a adoção das medidas que possibilitam, desde sempre, salvaguardar nossa saúde e a dos usuários de nossos serviços.

Mesmo atravessando momentos de incertezas e atribulações, o Seconci-MG não parou. Foi difícil, algumas vezes desalentador, mas também desafiador para todos nós. Vivemos uma nova realidade e seguimos aprendendo!

Neste momento em que “passo o bastão” para meus sucessores, – sem me desligar do staff gestor – sigo compondo o Conselho Fiscal da entidade -, deixo um legado de mais de dois milhões de atendimentos prestados e me congratulo com todos que me apoiaram na condução desta experiência. Um agradecimento especial aos colaboradores desta casa, que refletem a força do DNA do Seconci-MG e estão sempre  sintonizados com o desenvolvimento deste trabalho social, consolidando nossa missão, que é proporcionar melhor qualidade de vida àqueles que fazem o nosso setor prosperar, aprimorar-se!

Danuza Mohallem – Presidente do Seconci-MG (mandato 09/2017 a 08/2021)

Fonte: https://seconci-mg.org.br/palavra-da-presidente/